Linguagens de amor

12 de dezembro de 2017

laQuase todos os casais cristãos, de alguma maneira, já ouviram falar em “linguagens do amor”, terminologia cunhada pelo escritor cristão americano, Dr. Dr. Gary Chapman em seu famoso livro As cinco linguagens do amor, publicado, no Brasil, pela Editora Mundo Cristão.

Chapman popularizou e sistematizou , e isso foi muito bom, o que o psicanalista (também filósofo e sociólogo) alemão, Erich Fromm já tinha escrito, na década de 50, no seu livro, A arte de amar.
Gary Chapman usou a terminologia “as cinco linguagens do amor”, Erich Fromm, se apropriando de um estilo filosófico tinha usado, em seus escritos, a expressão “símbolos do amor”.

Ambos os autores foram importantes para compreendermos o amor. Erich Fromm e Gary Chapman.

Chapman nos ensinou, e ainda nos ensina, que o amor deve, acima de tudo demonstrado de forma concreta nas relações humanas.

Erich Fromm escreveu mais um tratado sobre amor. Para Fromm, o amor, como a música, a pintura, a carpintaria, ou exercer a medicina ou engenharia, deveria ser aprendido. Para ele, o amor é algo ensinável.

Talvez você já tenha ouvido, algum preletor para casais falar que o amor é uma decisão. Esta frase é de Erich Fromm quando escreveu: “O amor é uma decisão, é um julgamento, é uma promessa. Se o amor fosse só um sentimento, não haveria base para a promessa de amar um ao outro para sempre. Um sentimento vem e pode ir”.
Se uma pessoa ama a outra, de verdade, ela não nutre apenas um sentimento, mas decide amar. Surge ai, então, a grande contribuição do Dr. Gary Chapman, quando, como já afirmamos, sistematizou as chamadas “linguagens do amor”.

Para Chapman, os amor é demonstrado através de cinco maneiras: Toque físico, presença, palavras de afirmação, presentes e atos de serviços.

A demonstração do amor, através do toque físico, se dá, como o próprio nome revela, através dos abraços, beijos, andar de mãos dadas, do carinho, das massagens relaxantes, do cafuné.

Demonstrar o quanto amamos o outro através da presença acontece quando estamos com outro, seja nos passeios, ao sentar no sofá e ver um filme.

Palavras de afirmação se dá, no ato de demonstração do amor, quando dirigimos ao outro palavras positivas, de encorajamento, de ânimo, de elogio, que fazem bem às emoções e fortalecem e levantam a autoestima do outro.

Dar presentes também é uma outra forma de dizermos para o outro o quanto nós o amamos.

São aqueles presentes dados ocasionalmente, em datas especiais. São presentes, não muitos caros, mas também aqueles que representam um pouco de sacrifício em nosso orçamento.

Podemos demonstrar que amamos o outro através dos atos de serviços. Isso se dá quando ajudamos o outro através de ajuda, de participação nos afazeres e, como o próprio nome diz, nos serviços.

O grande desafio, coloca Dr. Gary Chapman, não é apenas demonstrar o amor através dessas linguagens, mas também conhecer a linguagem de amor que o amado ou a amada mais se satisfaz e que preenche suas necessidades de ser amado e a partir dai concentrar nesta linguagem, sem se esquecer das demais.

Os conceitos de Erich Fromn e de Gary Chapman são importantes para o relacionamento na família e no casamento. Mas, o maior tratado de amor está na Palavra de Deus, em 1 Coríntios 13.

Esse amor foi vivenciado, na sua plenitude, por Jesus. Ele não apenas ensinou sobre o amor, mas viveu o amor. Ele é o próprio AMOR.
————
Pr. Gilson Bifano é o fundador e diretor do Ministério OIKOS (Ministério Cristão de Apoio à Família). Preletor, escritor e Coach na área de família e casamento. Siga-me do Instagram @gilsonbifano  – Facebook/gilsonbifano
oikos@ministeriooikos.org.br

Share Button

Related Posts

Divórcio – Como tratar com os filhos
A morte e o romance
Queixas e críticas

Deixe seu Comentário

comentários