Meninos e meninas

29 de janeiro de 2019

7F247As redes sociais, no início de janeiro, fervilharam de postagens opinativas sobre a declaração da Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves.

O assunto foi a declaração da Ministra sobre os meninos usarem azul e as meninas rosa.

Foi um prato cheio para o debate, especialmente para os defensores da ideologia de gênero.

Sem entrar no campo político, vamos tentar nos situar nesta questão.

Na minha opinião, foi um erro de alguém próximo à Ministra fazer veicular nas redes sociais uma certa comemoração pela oportunidade de agora poder remar em direção contrária à corrente da ideologia de gênero, até então presente nos governos que estiveram no poder até o final de 2018.

Na minha opinião, Damares Alves, que tem sido uma guerreira na luta pela família, usou a imagem do azul e do rosa para mostrar que meninos e meninas precisam ser educadas de maneira diferente.

Damares Alves usou a figura das cores para mostrar que precisamos, como sociedade, parar, de uma vez por todas, de achar que as crianças devem escolher seu gênero. Essa é base da ideologia de gênero. Deixar que a criança, num determinado momento da vida, escolher ser menino ou menina.

Além de ser, a ideologia de gênero, uma ideia absurda, vai de encontro aos princípios da nossa fé e dos ensinamentos bíblicos.

Meninos nascem meninos e meninas nascem meninas. Não é uma questão de escolha.

Meninos e meninas nascem com gênero (sexo) já determinado. A grande tarefa da família é ensinar os meninos caminharem na estrada de uma sexualidade masculina sadia. O mesmo deve acontecer com as meninas. Devem ser educadas com sabedoria para que sejam mulheres com a identidade feminina forte e saudável.

Ai entra o papel da família, isto é, na construção desta sexualidade (masculina e feminina) forte e saudável.

Mais do que usar azul ou rosa, meninos devem ser ensinados a serem homens; meninas, mulheres.

Meninos precisam ser ensinados, para se tornarem homem de verdade, a andar, a se vestir, a falar, se sentar como homens.

Meninos precisam conviver com homens que lhes ensinem a serem homens. Meninos que vivem rodeados por mulheres sofrem da ausência dessa aprendizagem.

Por isso é importante meninos conviverem com outros homens na família. Por isso é de suma importância a figura do pai no ambiente familiar. Na ausência do pai, o avô, um tio, um líder da igreja pode ocupar conscientemente e intencionalmente esse lugar.

Por outro lado, meninas precisam ser educadas, para serem mulheres de verdade.

Os pais, por exemplo, podem expressar a alegria de terem filhas e dizer para elas que são amadas, valorizadas e respeitadas tal como os meninos. Que são “princesas”, no dizer da Ministra Damares Alves.

Na família, a mulher deve ser valorizada e respeitada.

Educar menina é diferente de educar menino.

Pais de meninos e meninas devem buscar a capacitação neste sentido.

A igreja, por sua vez, deve se conscientizar de que através do ministério da família, tem um papel importante neste sentido.

Pais e mães precisam receber instruções por parte da igreja sobre como criar meninos e meninas para que suas identidades sexuais sejam ajustadas e saudáveis.

********
Por: Gilson Bifano
Pai de duas meninas (Susanne e Alana), hoje esposas e mães.
Palestrante, escritor e coach de casais e famílias. Diretor do Ministério OIKOS – Ministério Cristão de Apoio à Família.
Siga-o no Instagram: @gilsonbifano
oikos@ministeriooikos.org.br

Share Button

Deixe seu Comentário

comentários