Nossas faltas para com os solteiros

23 de fevereiro de 2018

Single-christian-manComo igrejas evangélicas, temos que pedir perdão a Deus e aos solteiros por nossa omissão, para não dizer negligência, em relação a um ministério constante, bíblico e atuante junto a estas pessoas, ovelhas do Sumo Pastor, Jesus Cristo.

Pensando nesta realidade, desejo apontar alguns erros que a igreja evangélica brasileira tem cometido em relação a um trabalho sério com os solteiros.

Pecamos por omitirmos de ensinar uma teologia bíblica do celibato
Jesus deixou claro que o celibato pode ser uma opção para se dedicar integralmente ao Reino (Mt 19.12). Muitos dos servos de Deus receberam um mandato para continuar solteiro com o objetivo de se dedicar, de tempo integral, ao Reino. Jeremias, no Velho Testamento (Jr 16.1) e Paulo, no Novo Testamento (1Co 7.8), são exemplos clássicos.
Muitos que são casados, não deveriam, jamais, ter casado. Se dedicam tanto à obra de Deus que se esquecem de dar atenção à família. Foi por isso que o apóstolo Paulo alertou sobre o dever do casado em preocupar-se com as coisas do Senhor, mas jamais se esquecer de como agradar ao cônjuge (1Co 7.32-35). O celibato não deve ser imposto, com a Igreja Católica faz, mas se for algo comissionado por Deus, deve ser honrado.

Pecamos por não canalizar nossas energias para um ministério com solteiro da mesma forma que damos atenção ao ministério com casais
O número de pessoas solteiras nas grandes e pequenas cidades cresce cada vez mais. Parece que só a igreja não está dando conta dos números constantemente divulgados pela mídia. Empresas de alimento, construtoras, indústria do turismo estão atentas a este público e sempre estão oferecendo produtos e serviços para atrair os solteiros, mas a igreja ainda não se despertou para esta realidade. Continuemos a investir no ministério com casais, mas não cometamos o erro de deixar os solteiros sem uma ministração bíblica e relevantes para suas vidas.

Pecamos por associar a felicidade somente à vida de casado
Casamento não é um passaporte para a felicidade. Conheço pessoas, tremendamente infelizes, na vida conjugal. Mas conheço também pessoas felizes e realizadas na condição de solteiras. A felicidade não está num homem ou numa mulher, mas em Deus. Na Bíblia encontramos os exemplos de Jeremias, Jesus, Paulo (pelo menos durante todo o seu ministério), Marta, Maria e Lázaro que foram solteiros. Em nenhum lugar da Bíblia há menção de que tenham sido infelizes. Jesus, um solteiro, por exemplo, foi a própria felicidade.

Pecamos por ridicularizar os solteiros
Fico triste quando ouço dos próprios púlpitos piadinhas, neologismos e brincadeiras com os solteiros. Por que usamos o neologismo “solteirão” ou “solteirona” para os solteiros e não usamos o termo “casadão” ou “casadona” para aqueles que são casado? Por que usar termos “encalhados”, “ficar para titia” para os solteiros? Eu acho que Deus se entristece também quando ouve esses e outros tipos de colocações em nossas igrejas.

Pecamos por associar a vida dos solteiros a pecados sexuais
Um dia desses fiquei triste quando soube que uma igreja querida, no processo de escolha do novo pastor, ao elaborar o perfil do novo obreiro, votou em excluir a possibilidade de se convidar um pastor solteiro. Por quê? Estou cansado de ouvir histórias tristes envolvendo líderes casados. Manter a pureza sexual é questão de caráter e temor de Deus, seja casado ou solteiro.

Oro para que a igreja de Cristo no Brasil pense sobre estas verdades e comece já ser uma bênção para os solteiros, como tem sido, na sua grande maioria, para os casados.

*******************
Por: Gilson Bifano
Conferencista, escritor e coach de relacionamento.
Instagram: @gilsonbifano
oikos@ministeriooikos.org.br

Share Button

Related Posts


Deixe seu Comentário

comentários