A importância da declaração de Vitor Zaparolli

4 de março de 2020

ataqueRecentemente, o meio evangélico se assustou com a declaração de uma pessoa que milita na liderança do Movimento LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros)

Refiro-me a declaração do jovem Vitor Zaparolli, que usa o nome social de Amanda Palha.

O discurso, que circulou largamente na internet, foi feito no dia 16 de outubro de 2019. Nele, Vitor disse claramente que o Movimento LGBT deveria, definitivamente, aceitar e estampar, em letras garrafais, que seu objetivo é a acabar, destruir, aniquilar com a instituição da família.

Como já afirmei, o discurso casou um grande impacto.

Eu, confesso que até gostei de ouvir a declaração de Vitor. Não pelo seu teor, é claro, mas para servir, de uma vez por todas, de alerta para a igreja.

Muitos pensam que não existe um plano arquitetado para destruir a família. Acham que isso é uma teoria da conspiração.

Quando eu e minha esposa, Elizabete Bifano, organizamos o Ministério OIKOS, em 1997, ouvimos de um líder que trabalha com famílias nos EUA algo que nunca me esquecerei. Ele disse: “Pastor Gilson, saiba que existe um plano a curto, médio e longo prazo para destruir a família. Esse plano já foi elaborado, cientificamente, e está em curso em todo o mundo tendo a participação de vários setores da sociedade”.

A princípio, eu achei, também, que era um exagero. Isso foi em 1997.

Hoje, eu posso dizer que aquela palavra tinha fundamento.

A maioria dos governos, das organizações mundiais, fundações, sistemas educativos, indústria do entretenimento estão comprometidos, em muito, nesta maligna missão de acabar com a família.
Recentemente, a empresa de entretenimento Marvel anunciou que em breve irá lançar um super-herói transgênero.

Eu tenho ficado impressionado como as ideologias contrárias aos princípios verdadeiramente cristãos tem levado de roldão muitos jovens criados em lares piedosos, de pais genuinamente cristãos.

Há pouco dias um pastor me confessou, assustado, o quanto percebeu, em sua igreja, um número considerável de membros complacentes com a prática homossexual por parte de um dos líderes de jovens.

Eu creio que a única instituição que restará para defender os princípios cristãos que envolvem casamento, sexualidade e família será a igreja.

Nem, na minha opinião, as escolas cristãs poderão fazer muita coisa, pois estão sujeitas às leis e mais sob pressão de grupos (sindicatos e agremiações) que adotam posições contrárias à família tradicional.

Mas, como dizem nossos irmãos hispanos, desgraçadamente, a influência do mal já está chegando em nossos arraiais.

Recentemente recebi um link da transmissão, pelo Facebook, de um culto de final de ano numa igreja batista onde o pastor, ao orar, demonstrou muita piedade, pediu a Deus por mais justiça na sociedade, mas escorregou quando orou pelas pessoas homossexuais, dizendo: “eles não pediram para nascer assim, foi o Senhor que os fez assim, então, cuide deles”. Por quase um minuto ele ficou em silêncio, talvez meditando na sua frase, mas para minha tristeza, não consertou sua fala. Não sei se fez isso posteriormente. Espero que sim.

Condenar a violência contra os homossexuais é cristão, agora afirmar que Deus criou pessoas homossexuais é outra coisa bem distante.

Que Deus desperte pastores e igrejas, verdadeiramente comprometidas com a Palavra para se levantar e ajudar as famílias serem fortes e saudáveis nos dias de hoje.

Porque, famílias fortes ajudam as igrejas também serem fortes e saudáveis.

*******************

Por: Gilson Bifano
Diretor do Ministério OIKOS. Pastor, palestrante, escritor na área de casamento e família.
Siga-o no Instagram: @gilsonbifano
Facebook.com/gilsonbifano
E-mail: oikos@ministeriooikos.org.br

Share Button

Deixe seu Comentário

comentários