Pornificados

30 de janeiro de 2018

pornoUm dos melhores livros, que já li sobre o tema “pornografia”, foi escrito por Pamela Paul.

No livro de Pamela Paul existem muitos dados de pesquisas, entrevistas que dão seriedade ao tema.

Abaixo destaco algumas que nos levam a reafirmar o quanto a pornografia está permeando danosamente a sociedade e as famílias.

  • Todo mês, a Nielsen Net//Ratings faz varreduras pelos sites acessados pelos internautas. Em outubro de 2003, um em cada quatro usuários da Internet acessou um site pornográfico, gastando uma média de setenta e quatro minutos mensais.
  • “Pelos menos, metade dos homens, nas igrejas cristãs, se envolve com pornografia até certo ponto”, afirma Jonathan Daugherry, fundador do ministério cristão Be Broken, um ministério evangélico que procura ajudar pessoas se libertarem da dependência da pornografia.
  • Uma pesquisa conduzida pelas renomadas revistas evangélicas americanas, Christianity Today e Leardership, com 2000 líderes cristãos, cerca de 40% deles confessaram visitar regularmente sites pornográficos.
  • Outra pesquisa conduzida pelo site Pastor.com, em 2002, revelou que 50% dos pastores admitiram ter visto pornografia no ano anterior.
  • Em 2002, a Focus on the Family fez uma pesquisa que apontou que l8% dos cristãos nascidos de novos, (que se dizem convertidos de fato) declararam visitar sites de sexo explicito.
  • Quatro bilhões de dólares são gastos anualmente em videopornografia nos EUA.
  • As cadeias de hotéis Holiday In, Marriot, Hyatt, Hilton e Sheraton informaram à jornalista que metade dos seus hóspedes encomendam filmes pornográficos por canais pagos. Esses filmes representam 80% do entretenimento dentro dos quartos.
  • Um estudo em 2004 constatou que sites pornográficos são visitados três vezes mais frequentemente que a Google, Yahoo e MSN.
  • Uma em quatro mulheres divorciadas revelou que o habito da pornografia nos seus maridos, bem como o bate-papo on-line, haviam contribuído para a separação.
  • Pesquisas apontaram que quanto mais um homem vê pornografia, menos satisfeito se sente com a aparência e o desempenho sexual da parceira.

Esses são alguns números, dos muitos que Pamela Paul cita em seus estudos, além de muitos depoimentos de homens e mulheres escravizados e vítimas do hábito pornográfico de seus maridos, bem como os impactos negativos na vida sexual de um dependente de pornografia.

Se você é viciado em pornografia, o primeiro passo para superar esta dificuldade é reconhecer a dependência.

Depois, procure ajuda psicológica e grupos de apoio.

**********
Por: Gilson Bifano
Escritor, conferencista e coach de casal e família.
Siga-me no Instagram: @gilsonbifano
oikos@ministeriooikos.org.br

Share Button

Deixe seu Comentário

comentários