Vítimas de ideologias diabólicas

18 de junho de 2019

muitos filhosAo longo dos anos, muitas vezes não nos damos conta do quanto fomos e, ainda muitas vezes somos vítimas de ideologias diabólicas.

Muitas dessas ideologias eram, e ainda são, propagadas por veículos de comunicação, por catedráticos e organizações que descartam Deus e a desejam o fim da família.

Uma das ideologia a que me refiro é em relação ao número de filhos que devemos ter.

Lembro-me de várias vezes, e muitas vezes acreditei, que realmente o planeta Terra não comportaria mais do que 5 bilhões de habitantes. Os ideólogos diziam que não haveria alimentação para todos, que a água iria acabar e muitas outras falsas afirmações.

Quando me casei, em 1985, o planeta tinha em torno de 4 bilhões de habitantes. E foi justamente nesta época que eu ouvia tais afirmações.

Hoje, o planeta tem quase 8 bilhões de habitantes e todos aqueles dados catastróficos não aconteceram.

Se há fome em muitos países, se muitos não tem acesso à água potável ou se há violência não é pela quantidade de pessoas que vivem no mundo, mas devido a interesses econômicos de países, da injustiça social, da corrupção e de tantos outros fatores. Não é, afirmo categoricamente, pelo fato de mais nascimentos de crianças.

Com certeza a queda da natalidade, em muito, foi motivada por essas ideologias.

Os casais, e eu me incluo neste grupo, começaram a ter menos filhos. Nas décadas anteriores os casais tinham dez, doze filhos.

Recentemente participei de um funeral em que o irmão da falecida afirmou que seus pais tiveram doze filhos.

Essa ideologia, eu creio, também estava (ou ainda está) presente na teologia. Quantas vezes eu ouvi, na minha adolescência e juventude, que aquele texto que está em Gênesis 1.29 que diz ““Sede férteis e multiplicai-vos!” era exclusivamente para aquela época da humanidade.

Hoje essa ideologia está presente em vários movimentos, como no controle da natalidade em muitos países, nas campanhas de liberação do aborto, da distribuição de preservativos, da pílula do dia seguinte, no feminismo, no movimento MGTOW (Sigla do inglês para Men Going Their Own Way – Homens seguindo seu próprio caminho) que nada mais é que um movimento masculinista, É a resposta dos homens ao feminismo. Ambos daninhos à família.

Essa ideologia está presente até mesmo nas artes gráficas. Desenhos, ilustrações de família, podem observar, só tem um ou, no máximo, dois filhos.

Como verdadeiros cristãos, seguidores fiéis da Palavra de Deus, precisamos nos erguer e condenar com a autoridade que Deus nos dá a esses movimentos diabólicos que tentam por todas as maneiras enfraquecer e banir a família.

Precisamos, como igrejas, pregar que os casais precisam ter mais filhos. Precisamos levantar a nossa voz e dizer que essas ideologias são demoníacas, humanas e prejudiciais à família.

Que não tem base bíblica, que é prejudicial ao futuro dos países e, inclusive, para a própria igreja de Cristo.

*********************

Gilson Bifano – Diretor do Ministério OIKOS. Palestrante, escritor e coach na área de família e casamento.
Siga-o no Instagram: @gilsonbifano
oikos@ministeriooikos.org.br

Share Button

Deixe seu Comentário

comentários