Recado para Líderes de Casais

9 de setembro de 2022

Design sem nomeRealizar um ministério com casais é algo sério e relevante. Mas, muitas vezes, na vontade de ajudar casais a viverem uma vida conjugal feliz, nos esquecemos do nosso próprio casamento.

Por isso, quando trabalharem com casais não se esqueça de colocar a ‘máscara de oxigênio conjugal!’. Caso contrário, você é que precisará receber mais atenção.

Há muitos anos, viajando para Maceió, a fim de falar em um evento para famílias, na Primeira Igreja Batista daquela cidade, parei para ouvir mais atentamente aquelas orientações corriqueiras, porém importantes,  que as comissárias de bordo prestam antes de cada decolagem. Quem viaja com assiduidade, queira ou não, já decorou todas elas.

Uma orientação, diz mais ou menos assim: “Havendo despressurização da cabine, máscaras individuais de oxigênio cairão automaticamente. Puxe-a para si, colocando sobre o nariz e a boca. Lembramos que pessoas acompanhadas de crianças ou de alguém precisando de ajuda coloquem a máscara primeiro em si para depois auxiliá-las”.

A intenção é clara:  para ajudar alguém que esteja sem oxigênio, o ideal é que quem está ajudando, tenha plenas condições físicas para prestar o socorro.

Em que se aplica ao trabalho com casais?

Pela graça de Deus, as igrejas evangélicas, nesses últimos 20 anos, têm se despertado para  o trabalho com casais. Tudo começou na Primeira Igreja Batista de Niterói. Dali, os Encontros de Casais tomaram uma dimensão tremenda. Cada igreja escolhe o seu nome. Umas igrejas chamam de “Encontro de Casais com Cristo”, outras de “Grupo de Integração da Família Cristã”. Não importam os nomes. O importante é o trabalho que fazem. Muitos casais tiveram um encontro verdadeiro com Cristo através desses eventos.

Eu mesmo trabalhei por vários anos num dos Encontros, presenciei casais sendo impactados com a proposta do trabalho.  Outros casais, a despeito de todo o esforço por parte dos organizadores, não levaram, infelizmente, adiante os seus casamentos. Onde quero chegar?

Minha preocupação não é necessariamente com os participantes que são convidados a passarem um final de semana de crescimento conjugal. Tenho estado preocupado é justamente com aqueles casais que se envolvem de corpo e alma no planejamento e realização dos Encontros, em alguns casos até dois por ano, numa mesma igreja. No afã de ajudar os casais convidados a terem uma vida conjugal melhor, estão se esquecendo dos seus próprios casamentos e famílias. Usando a ilustração das máscaras, vejo com preocupação, muitos casais sem ‘oxigênio conjugal’ procurando ajudar, desesperadamente, outros casais com dificuldades no casamento.

Como evitar que isto aconteça?

Em primeiro lugar, os casais que trabalham nos Encontros devem dosar seus envolvimentos. Conheço casais que participam quase todo o final de semana de um Encontro. Trabalhe em um, no máximo dois, Encontros.

Segundo dê atenção e fortaleça o seu próprio casamento. Esta será a melhor maneira de ajudar casais com dificuldades. Haverá autoridade conjugal.

Terceiro, valorize sua família. Já ouvi alguém dizendo que alguns filhos de encontristas  estão criando a AFAPEC (Associação de Filhos Abandonados Pelos Encontros de Casais).

Em quarto lugar, a liderança dos Encontros de Casais deve promover oportunidades de enriquecimento conjugal e familiar dos próprios casais que trabalham nos diversos setores.

Tenho a certeza de que através destes caminhos, os casais que trabalham nos Encontros, terão melhores condições de colocarem a ‘máscara do oxigênio’ em muitos casais com asfixia conjugal. Ao mesmo tempo em que a obra de Deus junto aos casais será realizada com mais eficácia e autoridade.

_________
Por: Gilson Bifano

Share Button

Related Posts

A lição do não
A morte e o romance
Os deveres do marido

Deixe seu Comentário

comentários