Pais, não se omitam

3 de dezembro de 2021

Design sem nomeCastiga a teu filho, enquanto há esperança, mas não te excedas a ponto de matá-lo. Prov. 19:18.

O texto original hebraico não menciona a possibilidade de castigar o filho a ponto de matá-lo. Ao contrário, a mensagem é “castiga a teu filho, enquanto há esperança”, porque se não o fizeres serás responsável por sua morte.

O verbo castigar, em hebraico yassêr, envolve a idéia de instrução e repreensão. Mediante a instrução, você planta a semente do conhecimento na vida do filho. Através da repreensão, tira as ervas daninhas que aparecem espontaneamente.

Ensinar é uma experiência fascinante. Nas últimas férias, viajei acompanhado de minha netinha de um ano e meio. Era impressionante vê-la repetindo as palavras. Os tios, tentando ensiná-la a fazer alguma coisa nova, e ela, ávida por aprender. Pessoalmente, gosto de ensinar. É como se a gente se dividisse em mil pedacinhos para viver no coração de outras pessoas.

Mas ensinar é apenas a metade do processo educativo. A outra metade, tão importante quanto a primeira, é a repreensão, ou castigo como o chama a Bíblia. Aqui não se fala necessariamente do castigo físico, embora do ponto de vista bíblico ele tenha lugar na educação. A idéia do texto é chamar a criança para o bom caminho quando, levada pelos instintos, se aproxima perigosamente do precipício.

A tendência moderna de excluir o castigo na formação da criança é temerária e pode ser fatal. O que você faria se o seu filho pequeno se aproximasse do abismo? Dialogaria. Correto. E se insistir? Continuaria dialogando, muito bem. E se ele continuasse insistindo? Você o retiraria dali? A vida está cheia de precipícios e abismos morais. Eles não envolvem apenas perigos físicos. Têm conseqüências eternas. Portanto, não se omita. Discipline, instrua e repreenda. Mostre o caminho e chame a atenção quando for preciso.

Não basta ser pai. Tem que disciplinar. Disciplinar é amar. Corrigir é ser responsável. Você não está sozinho nessa dura tarefa. O Deus que lhe deu os filhos como um presente de amor, saberá orientá-lo na educação deles.
Que Deus o abençoe. “Castiga a teu filho, enquanto há esperança, mas não te excedas a ponto de matá-lo.”

*******
Por: Pastor Alejandro Bullón

Share Button

Related Posts

Limites para pais e filhos
Reivindique seus filhos para Cristo
Filho de peixe…

Deixe seu Comentário

comentários